AGÊNCIA DE NOTÍCIAS
Brasília, Quinta Feira, 25 de Agosto de 2016
29 de julho de 2015

‘Mercado contábil é promissor para as mulheres’, afirma presidente da Ifac

Postado por: Comunicação CFC


Por Juliana Oliveira
RP1 Comunicação

Olivia Kirtley vem ao Brasil para participar do X Encontro Nacional da Mulher Contabilista

A crescente participação das mulheres em todas as carreiras é observada com otimismo também na contabilidade. A afirmação é da primeira presidente da Federação Internacional de Contabilidade (Ifac -  sigla em inglês), Olivia Kirtley. Segundo ela, a presença feminina tem se dado em todas as áreas e em todos os países do mundo. “Sempre tive uma carreira global, e tenho visto com otimismo a participação das mulheres em todos os níveis da contabilidade, até mesmo em países em que elas têm pouca participação no mercado de trabalho”, conta.

No Brasil a presença feminina na contabilidade deu um salto nos últimos 11 anos. Em 2004 elas representavam 29% dos profissionais contábeis, hoje já são 42%. “Em breve deveremos ser maioria da categoria, visto que em 2012 58% das inscrições nos cursos de bacharel em contabilidade eram do sexo feminino, segundo dados do Ministério da Educação”, conta Maria Clara Cavalcante Bugarim, controladora-geral de Alagoas, presidente da Academia Brasileira de Ciências Contábeis (Abracicon) e coordenadora nacional do projeto Mulher Contabilista, desenvolvido pelo Conselho Federal de Contabilidade (CF), que tem por objetivo reconhecer o papel feminino no desenvolvimento da carreira.

A crescente presença da mulher na contabilidade também é observada por Liliane Veinert, headhunter sócia da CV Consult. Segundo ela, a participação feminina na contabilidade não é mais um tabu. “Em algum momento se dizia que a sensibilidade feminina era um problema para a carreira, hoje não, é até considerada uma aliada. O que o mercado exige é competência”, observa. Liliane conta que o mercado hoje requer um profissional dinâmico, que seja um consultor, tenha visão aberta e esteja muito atento ao mercado internacional. “Aquela imagem de profissional atrás de uma mesa cercado de papéis e uma calculadora não existe mais. O mercado exige uma formação sofisticada, e a mulher está apta a atender a essa demanda.”

A formação também é apontada pela presidente do Ifac como um item indispensável para a participação da mulher no mercado contábil. “A mulher precisa ser competente e confiante. Nada substitui a competência”, explica. Segundo Kirtley, entre os desafios enfrentados no mercado contábil está a dificuldade de ascensão na carreira. “O número de mulheres em cargos de liderança não corresponde ao número de mulheres na carreira. Estudos mostram que as mulheres querem ser mais preparadas que seus colegas homens antes de assumir um cargo de liderança. As mulheres precisam se arriscar mais e estarem dispostas a competir com os homens pelas promoções”.

Olivia Kirtley estará em Foz do Iguaçu (PR), no dia 13 de agosto, para participar do X Encontro Nacional da Mulher Contabilista, realização do CFC, em parceria com o Conselho Regional de Contabilidade do Paraná (CRCPR), a Abracicon e a Fundação Brasileira de Contabilidade (FBC).

O evento é o ponto alto do projeto Mulher Contabilista e reúne, a cada dois anos, profissionais de todo o Brasil para discutir temas relevantes para mercado contábil e para o país.  Este ano ocorre de 12 a 14 de agosto, e além de Kirtley, contará com a participação da diretora de Governança Global do Banco Mundial, Sâmia Msadek, a Oficial de Gerenciamento Financeiro do Banco Mundial, Jennifer Thomson, entre outros.  A programação completa pode ser conferida em www.encontromulher.com.br.


Totem Ticker